Roxy na Mídia

O Quebra-Nozes, com o Ballet Bolshoi, será exibido neste sábado no Roxy 4

Assessoria de imprensa - 15/12/2017

Neste sábado, 15h30, o Cine Roxy 4 (Avenida Ana Costa, 465, Gonzaga, Pátio Iporanga), exibe o espetáculo clássico “O Quebra-Nozes”, do Ballet Bolshoi. Os ingressos estão à venda no site pelo link https://cineroxy.com.br/vendas/ballet-bolshoi-o-quebra-nozes ou na bilheteria do cinema. O espetáculo volta a ser exibido dia 23 de dezembro, no mesmo horário.
 
Quando o relógio bate meia-noite na véspera de Natal, o boneco de madeira de Marie ganha vida e se transforma num príncipe. Acompanhados de seus outros brinquedos que também ganham vida, Marie e seu príncipe embarcam em uma aventura inesquecível. Essa é a trama central da apresentação com duração de135 min e de nome original “Ballet Bolshoi – O Quebra Nozes”, dirigida por Alexei Ratmansky.
 
O Ballet Bolshoi é a Companhia do Grande Teatro Acadêmico para Ópera e Ballet de Moscou. Sua origem se deu em 1773 quando um grupo de bailarinos, meninos e meninas carentes, e outros cidadãos servos, foi formado através de aulas realizadas em um orfanato de Moscou, porém a capital da URSS ainda era Leningrado. A partir de 1776 esse grupo passou a integrar a companhia do Teatro Petrovski, um local construído para abriga-los. Porém a construção da época era muito frágil e não resistente a incêndios, motivo pelo qual em 1805 o prédio foi destruído e de 1805 a 1825 o Teatro Arbat, o novo Teatro Imperial, foi local de apresentações desta companhia, até que em 1824 foi construído um novo prédio, no mesmo local do antigo teatro incendiado, e onde fica a sede atual do Teatro Bolshoi, tombada pela Organização das Nações Unidas, como Patrimônio Arquitetônico e Cultural da Humanidade. Em 18 de janeiro de 1825, com sua arquitetura Clássica e suntuosa foi inaugurado com o nome de “Grande Teatro Petrovski”.
 
Com o movimento nacionalista do balé russo abandona-se a herança do balé francês com sua mitologias e começa a se valorizar a literatura e os costumes russos na criação de novas composições coreográficas. Este movimento não pôde impedir a influências de coreógrafos como Petipa.
 
Até a Revolução Russa de 1917, a companhia de dança do Teatro Marriinski, que após esta revolução passou a se denominar Ballet Kirov, era a mais importante no cenário da dança russa acadêmica, porém o Ballet Bolshoi habitualmente recebia as grandes estrelas da dança, reproduzindo ainda os balés do consagrado Petipa, desta forma ganhando maior notoriedade pública.
 
No início do século XX, dirigido por A. Gorski (1878 a 1924), o Bolshoi buscava se libertar da constante presença de Petipa em seus repertórios, desejava uma nova identidade. Com a capital do país saindo de Leningrado e vindo para Moscou a companhia começa a receber maior incentivo do governo, podendo investir em seus talentos e pagar por aqueles formados pela Escola do Ballet Kirov, que neste século passa ter o mérito de formadora técnica e estilo impecável, enquanto que o Bolshoi fica famoso pela projeção de grandes estrelas, dando vitalidade ao balé russo. Naturalmente esta diferença de trabalho gerou uma rivalidade entre as duas companhias, porém ambas possuem seus méritos. Muitos dos artistas do Bolshoi são formados na escola do Kirov.
 
Hoje o Bolshoi possui um grande

• Desfile cosplay e bate-papo agitam noite de estreia do filme Han Solo: Uma História Star Wars, no Cine Roxy 4

• Final da Champions League será exibida no Cine Roxy 5

• Maratona Vingadores no Cine Roxy 5

• Nany People no Humor de Cinema desta semana

• Final da 1ª etapa do League of Legends terá exibição no Roxy 5, neste sábado